Rotina: encontrando a Deus no dia-a-dia (1a. Semana)

Publicado 6/fevereiro/2020 por admin em blog

Por Thaysa Kopsch

Quem já arrumou a cama? Quem faz isso sempre? Sejam sinceras, se vocês acham que isso é algo inútil, afinal, vai desarrumar de noite igual né.

Agora outra pergunta: Quem já conferiu o facebook ou instagram hoje? Isso não pode faltar, precisamos estar sempre por dentro de tudo né? Eu posso falar por mim que não passa um dia sem que eu não mexa nisso aqui.

Mas afinal, o que isso tem a ver com nosso tema, Sem tempo para Deus?

Vejamos, deem uma olhada nas fotos que vou passar e quero que vocês me respondam, em qual delas temos uma mulher dedicando tempo para Deus:

Eu digo que todas elas podem estar encontrando Deus, e é sobre isso que vou falar com vocês nessa manhã.

Rotina – encontrando a Deus no dia-a-dia

Rotina:

1. Caminho já trilhado ou sabido. = ROTINEIRA
2. Prática constante, em geral. = COSTUME, ROTINEIRA
3. Hábito de fazer uma coisa sempre do mesmo modo. = ROTINEIRA 4. Índole conservadora ou oposta ao progresso. =

Significado de Ordinário: Adjetivo. Que está em conformidade com o habitual. Que é comum; normal: circunstâncias ordinárias. Que se repete com regularidade; que tende a acontecer com frequência: discursou a sua ordinária ironia. Que não possui nem demonstra brilho, proeminência ou destaque; medíocre.

Mário Sérgio Cortella (filósofo) dias atuais, no seu livro Por que fazemos o que fazemos? Vai escrever um capítulo sobre a rotina, mas especificamente sobre a rotina do trabalho, mas que podemos utilizar para todas as nossas ações do dia a dia.

Ele argumenta que nosso problema com a rotina não é a rotina em si, mas a monotonia. Na verdade, a rotina pode nos libertar, pois ela nos dá organização e segurança. E nisso eu posso demonstrar com meu próprio exemplo, eu morava aqui em São Bento, sozinha, tinha meu espaço e meu tempo para fazer as coisas, mas agora desde dezembro eu voltei a morar com os meus pais em Timbó, pelo até julho desse ano.

E vou dizer, que nas duas primeiras semanas foi difícil, pois além de eu não ter mais as coisas onde eu estava acostumada, eu precisei me acostumar com a rotina de mais quatro pessoas, e dois cachorros barulhentos. Eu sentia falta do meu dia a dia aqui de São

Bento, de poder acordar e dormir a hora que eu quisesse, de lavar a minha louça e roupa quando eu quisesse, do silêncio do meu canto. Porque ali eu já tinha um lugar que me dava segurança.

Agora já melhorou, mas eu ainda não estou com minha nova rotina formada, até porque ainda estou de férias da faculdade, mas acredito que a partir da semana que vem já volte mais ao normal.

Mas o que a rotina tem a ver com Deus? Tem tudo a ver. A divisão entre aquilo que é do mundo e o que é sagrado é algo tão natural em nossa mente que normalmente separamos Deus das coisas ordinárias da vida, associando-o com situações mais ‘santas’ como um momento de oração, uma reunião da igreja, o culto, etc.

Não costumamos pensar nisso quando escovamos os nossos dentes, fazemos compras no mercado, comemos nosso pãozinho com schmia ou dirigimos. A maior parte do que molda a nossa vida acontece “embaixo da mente”, nas coisas que na maioria das vezes fazemos sem pensar. E ainda pior, por serem coisas que se repetem todo dia, são consideradas como lemos antes, medíocres, monótonas, chatas.

Por isso que tentar encontrar Deus em algo que sequer paramos pra pensar que estamos fazendo é complicado, mas eu te digo que temos como, pois o nosso ordinário, é absolutamente importante para nosso relacionamento com Deus.

Texto bíblico de Hebreus 13:1-9: Enquanto abrimos as bíblias vou explicar um pouquinho sobre hebreus, é uma carta, que até hoje não se sabe ao certo quem escreveu, alguns dizem que foi o apóstolo Paulo, outros que foi Apolo. Também não sabemos que eram os destinatários da carta, mas pelo seu conteúdo, era uma comunidade ameaçada de se desviar do centro da fé em Jesus Cristo.

Hebreus busca retratar principalmente o paralelo da gloria da nova aliança em relação à antiga, através da morte e ressureição de Jesus Cristo, e que seu sacrifício acabou com qualquer necessidade de realizar os sacrifícios da antiga aliança.

E a última parte da carta, que é a que vamos ler, tem instruções bem práticas, pois o autor de Hebreus entende que todo aquele que tem um encontro com o Cristo vivo, precisa ter visível em sua vida a obra e a salvação, pela fé e pela santificação. Então a exortação que vamos ler tem como assunto principal a prática da nossa fé no cotidiano.

Vemos abaixo como viver nosso dia a dia, mas também como devemos tratar as outras pessoas. E quero chamar a atenção para o primeiro versículo que fala sobre a permanência do amor fraternal. O autor chama a atenção para que seja algo constante no dia a dia. E ele exemplifica com algumas maneiras de amar: através da hospitalidade, e

vai lembrar dos encarcerados, provavelmente se referindo aqueles que estavam presos por testemunharem sua fé. Quando um membro do corpo sofre, todos sofrem com ele.

  1. Seja constante o amor fraternal.
  2. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber algunsacolheram anjos.
  3. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dosque estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que oestivessem sofrendo no corpo.

Vivemos em rotinas formadas por hábitos e práticas, e é no ordinário que eu

começo a aprender a amar, a ouvir, a prestar atenção em Deus e naqueles que estão ao nosso redor.

A palavra de Deus nos aponta para um viver comunitário e de amor, onde eu sou tirada da minha rotina egoísta, isso é, só pra mim, e presto atenção no outro, dirijo meus hábitos em favor de outra pessoa além de mim mesma.

Seguido disso, temos duas áreas importantíssimas do nosso dia a dia, que vemos no casamento, e como eu me porto em relação ao outro, e quando não estou com o outro, pois apesar do ser humano ter muitos hábitos ocultos dos outros, Deus vê.

E a outra é a ganância, e, além de ser contrário ao amor ao próximo, pois sempre irei querer mais pra mim, saindo o irmão no prejuízo. Mas também é contrário à total dependência que deveríamos ter em Deus.

  1. O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros.
  2. Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei”.
  3. Podemos, pois, dizer com confiança: “O Senhor é o meu ajudador, não temerei. O que me podem fazer os homens? “

Esses dois últimos versículos eu retomo daqui a pouco, mas agora vem a parte do texto que eu gostaria de dar mais atenção:

7. Lembrem-se dos seus líderes, que lhes falaram a palavra de Deus. Observem bem o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé.

Temos os neste versículo uma palavra muito importante, a imitação. Quando o autor fala de imitação, e uma das marcas mais fortes dos líderes da igreja antiga era a perseverança na palavra de Deus e na fé em Jesus, ainda que isso levasse à sua

page3image64740672

perseguição, prisão, e no fim, o martírio. Então não tem como não falar em imita-los sem falar em persistência e dependência diária do cuidado de Deus.

8. Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre.

No início de Hb 1.12 temos que mesmo mudando as gerações, a nossa fé é em um Senhor imutável. Por isso que nós até hoje podemos olhar para a história da fé de homens que tiveram suas vidas transformadas por Deus, e então imitá-los.

Sabe, quando eu recebi o tema de hoje, e tomei tempo para ler sobre rotina, e como nós já comentamos antes sobre o preconceito com ela, eu lembrei deste versículo.

Deus é o mesmo, Ele age da mesma forma, apesar do ser humano ter o hábito de sempre tentar se afastar dEle, nosso Deus tem o hábito de perdoar e ir ao nosso encontro. Assim foi a história de Deus conosco desde Gênesis com Adão e Eva, e depois com a história com o seu povo, os israelitas, até que Ele demonstrou isso de maneira tão surpreendente quando veio até nós através de seu filho Jesus Cristo. Mas não esqueçam que Deus também exerce juízo, há muito juízo de Deus se lermos a bíblia, mas através de Cristo Ele quer dar mais uma chance para a humanidade, mas só até a segunda volta de Jesus.

O fato de Cristo sempre ser o mesmo, isto é, uma eternidade que não compreende aquilo que entendemos por tempo, quer dizer que em todo tempo ele está presente. Nós podemos achar, e nos enganar, que há tempos que Ele não está presente, ou, como temos nosso tema esse ano, que nós não temos tempo para Ele, mas em todos os minutos do teu dia, Ele continua sendo Cristo. E voltando agora ao versículo 5, o que encontramos? nunca te deixarei, nunca te abandonarei! Porque ele sempre é Ele, e sempre está com cada uma aqui. Em tudo o que fazemos.

E aqui eu não tenho como não lembrar o que o Cortella fala sobre a rotina ser uma segurança, pois sabemos pelo que esperar.

Vocês já pararam pra pensar se Jesus não fosse o mesmo em cada tempo, se ele mudasse, e tudo que foi falado pudesse mudar? O fato de Cristo permanecer o mesmo, nos garante e dá paz quanto à nossa salvação e o nosso futuro. E da mesma forma a constância de Deus nos faz perseverar também, pois ter fé em Cristo é permanecer andando como ele andou (1 Jo 2.6).

Mas será que nossas rotinas estão de acordo com os caminhos trilhados por Jesus? Como podemos saber?

9. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja fortalecido pela graça, e não por alimentos cerimoniais, os quais não têm valor para aqueles que os comem.

Como eu falei na introdução da carta, a carta de Hb queria avisar aos seus destinatários que eles corriam o risco de se desviar da fé, e um motivo para isso parece manifestar-se na dúvida em relação à suficiência da obra salvífica de Deus realizada em Jesus Cristo.

Haviam pessoas ensinando que só aquilo que Jesus fez não era o suficiente, e que precisamos de rituais para nos ajudar a alcançar a salvação. Aqui o autor fala de certos alimentos, e isso retoma aos sacrifícios de animais feitos no Antigo Testamento. Mas que a partir de Jesus, não são mais necessários.

E temos que entender aqui que a firmeza de fé do coração humano não se adquire pela prática de um ritual legalista, mas como consequência da graça de Deus.

Mas então Thaysa, você está me dizendo que o ritual, isso é, algo que nós sempre fazemos igual, não é o que nos salva. Isso. Mas então nossa rotina também não tem nada a ver com nossa salvação. Sim, e não. Ela não nos salva, mas ao prestarmos a atenção nela, podemos identificar se estamos ou não direcionados para o autor da salvação, que é Cristo.

Vou demonstrar isso explicando um pouco através do sentido que a palavra Coração tinha nos tempos bíblicos. Era nele que ocorria a vida interior, era visto como o centro da personalidade e o lugar onde Deus se revelava aos homens. Do coração vinha os pensamentos, desejos e os sentimentos.

Diante disso, é o coração onde Deus purifica, desperta e cria a fé, sendo ele o alvo da nossa santificação, é ele que precisa ser mudado para que mudemos nossas ações.

Versículos que demonstram que o coração está associado à nossa rotina:

Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida Pv 4.23; Se é do coração que depende minha vida, é a partir dele que são criados meus hábitos e desejos que me impulsionam a fazer as coisas.

James K. A. Smith é um canadense-americano, professor de Filosofia e Teologia, e escreveu um livro que se chama Você é aquilo que ama: o poder espiritual do hábito. Eu não cheguei a ler o livro, mas assisti a uma palestra dele explicando um capítulo, e ele diz que nossa visão do que gostamos fica impregnada em nós por meio de práticas repetitivas que motivam como vivemos e o que amamos.

page5image64648512

Hábitos moldam os nossos desejos da mesma forma quando alguém resolve fazer uma reeducação alimentar, alguém já precisou cortar doces? Eu sou uma chocólatra e uma vez precisei fazer isso por questões de saúde, e como foi difícil. A primeira semana eu só pensava em açúcar, a segunda eu tinha aquela vontade depois do almoço e um desgosto por ter que comer pão com coisas salgadas no café, isso pra mim não descia. Mas na terceira semana a vontade foi diminuindo, e depois de um mês, não era mais uma necessidade, eu não desejava mais pelo doce. Aquilo que eu pretendia fazer, só foi possível, porque eu persisti em uma nova rotina, pois o só querer diminuir o açúcar não iria fazer eu parar de gostar dele.

Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração Mt 6.21.

Os meus desejos são visíveis através daquilo que faço. É bem interessante as formas frequentemente invisíveis e silenciosas com que passamos o nosso tempo são o que nos formam, mesmo que pareçam ser inofensivas. E acreditem, como vivemos cada dia ordinário é como estamos vivendo nossa vida inteira, inclusive minha vida perante Deus. Nossos corações e nossos amores são moldados pelo que fazemos diariamente.

E o que acontece é que muitos cristãos tem uma rotina que na maioria das vezes acaba sendo igual à das pessoas que não acreditam nesse Deus, mas com um pitadas extra de espiritualidade.

Acham que por irem à igreja e orarem de vez em quando o faz diferente de quem não faz. Mas se minhas ações não mostram Cristo, quer dizer que meu coração não está desejando a Ele.

Podem ser coisas pequenas, mas que com o tempo podem me afastar muito de Deus. Pensem em uma bússola, você tem como o seu Norte a Deus, e uma bússola sempre vai ter que apontar para o norte, e consequentemente, você vai se direcionar para lá. Mas imaginem que a calibragem da bússola estiver errada, nem que seja um grau, mesmo que pareça ser algo insignificante, se você andar todos os dias da tua vida indo um grau para o lado errado, no fim da jornada, você vai estar muito desviada do seu alvo.

E assim somos com nossos hábitos, podemos achar que estamos bem direcionadas, mas nossas ações, mesmo nós não percebendo, podem estar nos levando por uma rota contrária, e podemos só perceber isso depois de muito tempo.

Eu falo por mim, eu sei que nos últimos dois anos eu adquiri um hábito muito ruim, que é o de procrastinar, sempre ir adiando o que eu preciso fazer. Começou comigo ficar enrolando na cama pra levantar, eu usava a desculpa do cansaço, e então comecei a

pegar o celular e antes de sair da cama já tinha olhado todas as minhas redes sociais. E aí percebia que iria me atrasar, e sai correndo, ainda assim chegando atrasada as vezes.

E eu sei que isso foi ganhando espaço em todas as áreas da minha vida, para os meus trabalhos, até para sair com meus amigos, eu ficava enrolando em casa. Eu sei que tem pessoas que vivem assim e estão tranquilas. Mas eu sou uma pessoa ansiosa, e com o tempo, isso começa a afetar meu sono, meu humor, e minha saúde. E sem contar que eu fico com sentimento que poderia ter feito melhor!

E tudo começou comigo enrolando pra levantar, (não me levem a mal, tem dias que é uma maravilha ficar na cama mais tempo, vendo um tv, descansando de uma semana agitada, mas não pode se tornar um hábito!

E pra mim foi bem interessante perceber essa questão do hábito, pois apesar de eu saber que não preciso andar ansiosa por coisa alguma, afinal Jesus disse isso, depositar tudo em suas mãos, e eu sei disso, mas saber é diferente de fazer! como um exemplo bem prático, eu estou começando a escrever o TCC agora, a entrega é para maio, se eu deixar pra começar a fazê-lo em maio, um trabalho que dá mais ou menos 50 páginas e muita pesquisa, como eu não vou ficar ansiosa até lá? Então eu preciso mudar um hábito, viram como isso é forte na nossa vida?

Por isso, qual é o seu verdadeiro tesouro? Analisem, eu conheço pessoas que ficam o dia todo na frente da TV, no celular, e ali você pode adorar várias coisas, desde ser uma compradora fanática, viciada em tirar selfies e postá-las, ou, você fica o dia todo jogando Candy Crush ou outro joguinho. Tudo isso pode acabar nos alienando em uma rotina totalmente voltada para nós mesmas, ondem nosso verdadeiro tesouro somos nós e nossos desejos.

Mas então, como eu consigo mudar isso? Como eu mudo meu norte para Deus? O versículo continua: nossos corações devem ser fortalecidos pela graça, e não por nossas rotinas. A graça nada mais é que a essência do ato salvífico de Deus mediante Jesus Cristo, concretizada na sua morte sacrifical e ressureição, e todas as consequências após ela.

A graça é o presente dado por Deus que nós não merecemos, e aqui se você quer entender de uma vez por todas porque Deus te encontra na tua rotina, é só ver o que Cristo fez.

Deus, o mais extraordinário que nós tentamos imaginar, mas não conseguimos compreender isso, é demais, se tornou ordinário, veio ao nosso encontro como um simples homem, viveu todas as coisas que eu e você vivemos, de uma forma um pouco diferente por causa da cultura e da época, mas tenham certeza que Jesus comia o pão que a mãe

fazia pra ele quando criança, que ele ia no banheiro, ele dormia, ele chorava, ele se irava, ele vivia um dia a dia como eu e você. E no fim, ele sofreu o fim mais ordinário e comum, a morte. O extraordinário que se tornou ordinário para que eu e você possamos ter acesso ao extraordinário novamente. Antes de Cristo o ser humano tinha que passar por rituais e sacrifícios para tentar ter um relacionamento com Deus, mas só com Jesus nós temos acesso completo ao Pai.

E por isso, assim como a graça é um dom de Deus, a firmeza do coração também é dada por Deus.

Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos. Pv 16.9;

Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens Cl 3.23;

E como ela nos alcança? Pela sua palavra, assim Deus se revela a nós, e por isso precisamos busca-la. E aqui eu preciso fazer um comentário sobre isso, porque é uma coisa que tem me incomodado nos últimos tempos. Da mesma forma que o alimento rotineiro, a nossa higienização, nosso sono e todas as nossas coisas feitas de maneira impensada, que não parecem ter qualquer importância no dia a dia, a palavra de Deus pode parecer entediante, até esquecível. Mas não significa que não está nos nutrindo e mudando nosso viver.

Como essa palestra agora, pode ser que para algumas aqui, o que eu falei pode ficar sempre na lembrança de vocês, pode ter sido por terem achado muito interessante e gostado, mas também pode ser uma lembrança por terem achado muito ruim. Mas ainda tem a possibilidade que o que eu esteja falando hoje não seja nada memorável, e depois de alguns dias não lembrem mais. Entretanto, a palavra de Deus vai agir em cada uma que ouvi-la.

E temos um grande problema atualmente de pessoas que buscam entretenimento e não ouvir a verdade que a palavra quer ensinar. Então temos a busca por shows bombásticos que sejam capazes de prender a atenção dos ouvintes, nem que seja por pouco tempo. As igrejas mais tradicionais perdem “público”, pois são consideradas ultrapassadas e chatas. Porque são sempre iguais, a mesma rotina sempre de novo.

Estamos vivendo em uma época em que a experiência individual, o sentimento que eu tenho quando encontro com Deus se tornou a peça central da vida cristã, e não o que deveria ser central, a Palavra. Mas da mesma forma que Cristo é o mesmo para

sempre, a sua Palavra não muda, e é necessária para que nossos corações sejam fortalecidos pelo dom da graça.

Vi em um instagram de uma influencer/blogueira cristã com muitos seguidores, que eu gosto muito do que ela fala, que em 2020 ela deseja se aproximar mais de Deus e quer experiências poderosas com Ele. Mas o que seriam essas experiências? Milagres, um profecia, um sonho, um livramento? A verdade que essas coisas tudo ocorrem, mas não são o ordinário, são extraordinárias, e se esperarmos apenas eventos assim para dizer que eu encontro a Deus e sinto Ele, vamos nos frustrar, e vamos perder o foco do que realmente importa, meu dia a dia com Deus.

A rotina torna possível o nosso dia a dia, é o agora, o presente e suas repetições que impulsionam a vida, e não os eventos extraordinários. Adaptando essa frase, não são aqueles momentos dignos de bater a foto e postar nas redes sociais, como as férias, viagens, lugares diferentes, que fazem a grande parte da tua e da minha vida, mas são aqueles momentos entre uma foto e outra, como um dia de limpeza antes de receber aquela a visita para comemorar um aniversário, pois isso temos que fazer quase todos os dias, enquanto que aniversário, é uma vez por ano.

Vida cristã é isso, repetição, de oração, de nossas idas ao encontro de Deus no culto e em nossas devoções pessoais, o convívio com as pessoas e amá-las, mesmo que não seja fácil fazer isso todos os dias, e principalmente, nosso arrependimento e fé em Cristo precisam ser renovados todos os dias.

PARA REFLETIR:

Você pode pensar numa prática ou ritual diário que te formou ou te moldou de uma maneira grande ou pequena?

Tem algum hábito que te distorceu e que você precise mudar? Se existe, o que posso fazer a partir de hoje para que minha rotina me transforme em uma mulher direcionada para a vontade de Deus?

Mudar hábitos pode ser difícil, mas é possível, com certeza. Quando optamos por hábitos que nos direcionem para mais perto da vontade de Deus, teremos uma vida fortalecida pela sua palavra, e não precisaremos estar preocupadas que não temos tido tempo para Ele, pois teremos certeza que ali nas nossas atividades diárias, ali também Deus está. Amém!

Sem comentários ainda em “Rotina: encontrando a Deus no dia-a-dia (1a. Semana)”

Comentários não são permitidos nesta postagem